Cuidados para proteger seu filho dos perigos do verão

Na praia, no campo ou na cidade, os dias de sol requerem cuidados específicos como uso de protetor solar e alguém sempre por perto quando as crianças entram na piscina ou no mar

O calor já domina o País de Norte a Sul e as férias escolares de verão estão aí. Com isso, as crianças têm dois meses especiais pela frente com mais tempo para brincar e possíveis viagens à praia ou ao campo. Cabe aos pais tomar os cuidados necessários para garantir o bem-estar dos filhos nesse período. Para ajudar nessa tarefa e afastar os perigos do verão, três especialistas dão as principais dicas para você e sua família chegarem ao outono sem sobressaltos.

 

 

Thinkstock/Getty Images

O uso de boias é indispensável, mesmo quando a criança sabe nadar

 

 

Desidratação

No calor, muita brincadeira é sinônimo de muito suor o que leva a uma perda considerável de líquidos. E, no meio da diversão, as crianças simplesmente não percebem que estão com sede. Ignorar o pedido do corpo por líquido pode levar à desidratação. Por isso, Marcelo Reibscheid, pediatra do Hospital São Luiz, em São Paulo, e criador do portal Pediatria em Foco  recomenda: “ofereça bebidas com frequência e antes que as crianças peçam, mesmo que tenha que interromper a brincadeira. Dê preferência à agua e aos sucos naturais.”

Afogamento

“A criança precisa sempre estar acompanhada por um adulto quando for ao mar ou à piscina. E, mesmo assim, deve usar boias”, afirma Reibscheid. O fato de o pequeno já fazer aulas de natação não interfere em nada nessa necessidade, como ressalta Marcelo Porto, vice-presidente da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul. “Até quatro anos de idade, há risco de afogamento até em poça d’água. Isso é um assunto sério. A criança não pode ficar desassistida nem por um segundo”. Os pais também devem ficar atentos com baldes e banheiras, muito comumente usados para aliviar o calor nessa época do ano. Além disso, nunca é demais lembrar que os responsáveis precisam cercar as piscinas para evitar acidentes.

Protetor solar

“A partir dos seis meses de idade, o protetor solar deve ser usado sempre que a criança ficar ao ar livre: na praia, no campo, no clube, quando for brincar no playground do prédio, mesmo que vá ficar debaixo do guarda-sol o tempo todo”, afirma Porto. O fator de proteção solar (FPS) adequado à pele da criança é determinado em consulta com o seu médico, aconselha Reibscheid. Atenção também ao horário de exposição ao sol, que pela manhã pode ser até as 10h e à tarde, depois das 17h.